O número de dispositivos eletrônicos, conexões de internet e usuários de mídia social aumentou rapidamente no ano passado. Mas a leitura por trás dos números é de como as pessoas estão se relacionando com os dispositivos e como as empresas podem otimizar e facilitar os novos usos e dinâmicas em torno da tecnologia.

Por exemplo, é comum ouvir quantas pessoas decidiram optar por novos aparelhos para trabalhar em casa, para monitorar a saúde ou para se comunicar com amigos e familiares durante longos períodos de isolamento. Mas já nos perguntamos a quantos dispositivos ficamos conectados? Quantos dispositivos temos em nossa mesa agora? E quão necessários eles são?

Quando se fala em ferramentas que se integram ao dia a dia para a obtenção de experiências profissionais de qualidade, tanto presenciais como remotas, não podemos esquecer dois pontos fundamentais que garantem o sucesso: as ligações e as aplicações utilizadas para fazê-las.

Nos tempos modernos, é tão importante falar da qualidade dos aparelhos como das aplicações que os complementam. Além de estabelecer um canal de comunicação entre dois pontos, a eficácia também é marcada pela forma como as soluções adaptadas permitem responder a diferentes necessidades e ter inteligência e autonomia suficientes para favorecer as experiências cotidianas em qualquer contexto.

Progresso não consiste em pegar um dispositivo e adaptá-lo às próprias necessidades. Pelo contrário, a forma mais funcional é adicionar a uma solução que já possui inteligência, aplicações e plataformas integradas e, desde o primeiro momento, garanta uma experiência totalmente abrangente.

Cada pessoa, empresa ou setor possui necessidades diferentes e ambientes de trabalho diversos, por isso as ferramentas devem ser tão dinâmicas e completas que possam ser adaptadas a qualquer situação.

Além das colaborações, deve ser garantido o pleno acesso às informações no momento ou local que for necessário e prestar assistência alinhada às estratégias de negócios para a tomada de decisões com agilidade e, sobretudo, que a experiência do emissor seja tão satisfatória quanto a do interlocutor, independentemente de estar a distância, em uma pequena sala ou em um grande auditório.

O fundamental é poder contar com um dispositivo adequado, intuitivo, flexível e disponível para estabelecer comunicações, participando de reuniões, mas também garantindo o acesso a todas as plataformas, aplicações e documentos necessários ao dia a dia. Um dispositivo inteligente e integrado à nossa realidade.

O papel da Inteligência Artificial
Além de poder realizar todas as atividades básicas, como receber e-mails, enviar mensagens instantâneas ou ligar por videochamada, complementando essas aplicações com Inteligência Artificial (IA) também se tem a oportunidade de utilizar recursos como comandos de voz ou transcrições instantâneas, que melhoram a experiência interna e externa dos clientes finais.

Irritar-se com latidos de cachorro, com alguém que passa vendendo produtos ou com o barulho de um avião que atrapalha a comunicação é coisa do passado. Hoje existem ferramentas que se baseiam em avanços tecnológicos e favorecem o relacionamento com as pessoas.

Em um universo que pensa firmemente no presente, mas também no futuro, é fundamental que fique claro que, em caso de necessidade de adaptação, é possível melhorar a qualidade do áudio ou intensificar a integração sem ter que alterar toda a infraestrutura. Por exemplo, se você está falando de um telefone IP, não precisa necessariamente de um switch para se comunicar, porque simplesmente o conectando a uma fonte de alimentação ou wi-fi você já tem áudio.

Caio Moreno, líder do portfólio de dispositivos da Avaya para a América Latina

Pode te interessar

Avaya e Microsoft anunciam integração dos serviços de comunicação

Avaya aposta na diversidade, individualidade e inclusão

CVC unifica comunicação para 4.500 colaboradores com solução Avaya OneCloud™ UCaaS Solution