Quatro em cada cinco funcionários não estão satisfeitos com as oportunidades de carreira que a empresa oferece. É o que detecta levantamento realizado pela Love Mondays, a maior comunidade de carreiras onde funcionários avaliam as empresas onde trabalham.

A consulta, realizada em abril deste ano, contou com 5195 opiniões de profissionais cadastrados no portal de um universo de 100 empresas. O levantamento procurou identificar o grau de satisfação dos trabalhadores com as oportunidades de carreira que a empresa onde trabalham oferece. A satisfação foi avaliada em escala que pode variar de 1 a 5 pontos, sendo que 1 representa um profissional ‘muito insatisfeito’, 2 ‘insatisfeito’, 3 ‘neutro’, 4 ‘satisfeito’ e 5 ‘muito satisfeito’.

Do total de opiniões dos funcionários dessas 100 empresas, somente 20% mostraram-se satisfeitos ou muito satisfeitos com as oportunidades de carreira oferecidas. Para mais da metade dos trabalhadores (55%) desse mesmo estrato, o posicionamento é ‘neutro’ quanto às oportunidades que a empresa oferece onde trabalham. Outros 25% revelaram estar insatisfeitos ou muito insatisfeitos com o plano de carreira.
“O alto grau de insatisfação de funcionários quanto às oportunidades de carreira é um indicador importante e serve de alerta às empresas, já que oferecer oportunidades de progressão na carreira é um aspecto fundamental na retenção dos melhores talentos. Ainda, o funcionário que vê possibilidades reais de crescimento dentro da empresa tende a ser mais comprometido e motivado, sabendo que os seus esforços serão reconhecidos com a promoção tão desejada”, explica Luciana Caletti, CEO da Love Mondays.

Grau de satisfação por cargo
O levantamento da Love Mondays também conseguiu identificar os 10 cargos mais e menos satisfeitos em relação às oportunidades de carreira. Na lista dos top ten mais satisfeitos, aparecem pela ordem: consultor independente (4,85), consultor de beleza (4,44), gerente (4,07), diretor (4,01), treinador (3,85), consultor sênior e gerente (3,83), trainee e supervisor (3,80) e menor aprendiz (3,79). Na outra ponta, os que demonstram maior insatisfação com oportunidade na carreira são: carteiro (1,66), agente dos correios (2,02), auxiliar de serviços gerais (2,14), técnico de informática (2,22), faturista (2,30), ajudante de produção (2,31), técnico administrativo (2,32), auxiliar de escritório e técnico em enfermagem (2,33) e auxiliar de expedição (2,35).

“Os profissionais que optaram por uma carreira solo ou que ocupam cargos mais estratégicos mostraram que estão mais felizes com o plano de carreira. Da base, apenas trainees e menor aprendiz apontam satisfação”, comenta Luciana.

Setores de satisfação (ou não)
Na consulta da Love Mondays também foi levantado quais setores são os mais satisfeitos (ou não) com plano de carreira. Foi verificado que a satisfação é mais presente nos segmentos de Consultoria (3,02), Químico (3,01), Metalurgia e Mineração (3,0), TI e Telecom (2,96), Construção e Engenharia (2,92), Serviços Financeiros (2,85), Farmacêutica e Saúde (2,84), Bens de Consumo (2,83), Transportes e Logística e Agropecuária (2,80). Do outro lado, a insatisfação foi constatada nos setores de Governo, ONG e Associações (2,43), Manufatura Industrial (2,54), Varejo (2,56), Têxtil (2,64), Eletrônico (2,65), Energia (2,66), Serviços a Empresas, Serviços ao Consumidor e Viagens, Turismo e Lazer (2,73) e Educação (2,75).

Leia mais

Os desafios do RH para a gestão de talentos

Tempo: você sabe administrá-lo?

Nova Lei de Terceirização é desafio para profissional de R.H