A pesquisa "O Caminho para a Retomada: os Picos de Venda para 2020 Repensados", realizada pela Rakuten Advertising, entrevistou mais de 8 mil pessoas durante junho e julho deste ano, mostra que o brasileiro ainda tem uma forte relação com a loja física, 58% dos entrevistados preferem soluções híbridas, que aliam a comodidade do e-commerce com o atendimento e a relação com o produto no ambiente físico (pick up from store).

"Muitas pessoas falam sobre a ‘morte’ da loja física, mas isso não vai acontecer, pois a loja física vai ter outra finalidade para o consumidor. Ele pode comprar no e-commerce e optar por retirar na loja. Vale ressaltar também que o espaço físico pode ser um ponto de contato e experiência da marca com o cliente, gerando confiança, credibilidade e empatia para ambos.", menciona o Diretor da La Femme, marca de calçados femininos, José Augusto.

Segundo o estudo, mais de 70% dos brasileiros passaram a comprar com mais frequência no online, devido ao COVID-19, e 50% dos consumidores em todo o mundo deram preferência por empresas locais durante a pandemia. "Registramos crescimento significativo no e-commerce, e o fato de possuir um atendimento 100% humanizado e ser uma empresa familiar - na qual estamos acompanhando todos os detalhes - faz com que as pessoas sintam mais confiança na hora de efetuar a compra.", afirma Augusto.

"A pandemia mudou rapidamente os hábitos de consumo. Além de consumir mais de forma digital - devido ao isolamento social - as prioridades do consumidor mudaram um pouco: a história das marcas, qual seu impacto no mundo, tanto econômica quanto ambiental, e até seu posicionamento político são considerados importantes na hora da escolha dos produtos. Não esqueça que o digital também facilita as pesquisas desse consumidor.", destaca a Conselheira e Estrategista de digital branding, Founder da GirlBoss, Tânia Gomes Luz.

Vale ressaltar que outro estudo realizado, em 2019, pela Lett em parceria com a Opinion Box, já apontava a preferência de 64% das pessoas por comprar em lojas físicas, e 36% em lojas online, quando as condições de preços e benefícios são as mesmas.

Um ponto importante é que 28,5% dos entrevistados sempre pesquisam os preços online mesmo quando estão em uma loja física e 35,2%, sempre que realizam compras em varejos físicos, buscam por informações do produto na internet. O estudo já mostrava indícios de que o consumidor está cada vez mais omnichannel e, com a pandemia, essas mudanças de comportamento aumentaram, o "novo" consumidor busca várias opções, online e offline, antes de realizar uma compra.

Pode te interessar

Tendências para o relacionamento com o consumidor 4.0 pós-pandemia

Omnichannel oferece experiências contínuas de consumo

Varejo pós-covid-19: como aproveitar uma combinação de canais físicos e digitais com novos hábitos de compra