Diante das dificuldades de um período de crise financeira no país, as pessoas tendem a perder o entusiasmo, quando na verdade devem mudar as atitudes para diminuir ao máximo o impacto dos tempos difíceis. Quem ensina isso é a Coach de Carreira e idealizadora do Movimento Acenda, Ana Lisboa. “Minha experiência de mais de dez anos em processos seletivos mostra que é possível superar usando algumas estratégias, pensamento positivo e atitude”, destaca, e lista 7 sugestões importantes que devem ser tomadas por quem procura um emprego.

1-Coloque muitas palavras-chave no currículo
A coach lembra que os sites de empregos trabalham com robôs que ligam o currículo às oportunidades de trabalho existentes. “As palavras utilizadas precisam combinar com o segmento de atuação para que currículo seja encontrado”.

2-Cadastre o currículo nos bancos das empresas
Com as demissões e a baixa nas vendas, as empresas de diversos segmentos estão cortando custos. “Processos seletivos são operações caras e agências de emprego podem representar um custo extra, por isso as chances aumentam aos candidatos que enviam o currículo para o maior número possível de sites”, ensina a coach.

3-Aumente a área de deslocamento
Ana Lisboa entende que é cansativo e demanda tempo deslocar-se para trabalhar. “Mas se a cidade do lado está contratando, é melhor deslocar-se do que ficar sem rendimentos”. A especialista ainda lembra que o tempo maior de deslocamento pode ser usado para ouvir música e estudar.

4-Pense na possibilidade de readequação de salário
Em situação de agravamento dos problemas, a coach destaca que abrir mão de um rendimento igual ou maior ao do último emprego pode representar maiores chances de conseguir um novo trabalho, mesmo que esta atitude seja difícil para muitos. “As contas não esperam e precisam ser pagas”.

5-Pense nos segmentos da economia que estão em baixa
Segundo a coach, o momento de crise pode ser ótimo para mudar de profissão, caso seja uma possibilidade. “Faça um inventário de seus conhecimentos, habilidades e atitudes que podem ser utilizados em outras atividades profissionais que não sofrem com a crise”.

6-Evite notícias sensacionalistas, pessimistas e desmotivadoras
Segundo a coach, as dificuldades do mercado são conhecidas por todos, e por isso não se deve dar ouvidos a informações deprimentes e preocupantes. “Você pode desmotivar-se ainda mais, e isso não é nada bom”.

7-Procure trabalho e não apenas emprego
Ana Lisboa destaca que as vagas de emprego podem estar em baixa, mas trabalho nunca falta. “Se houver oportunidades eventuais de realizar algum trabalho em que você consiga ter um pouco de paz financeira, aceite. Sempre há alguém disposto a pagar por um serviço que você pode executar”, conclui.

Leia mais

Empregos podem cair 5% no setor em 2016

Fui demitido, e agora?

Entrevista demissional evita processos trabalhistas